ESCOLINHA DE ARTE – UMA VIVÊNCIA NECESSÁRIA PARA TODA CRIANÇA

| Por: Raquel Crusoé Loures de Macedo Meira

Criada em 1948 no Rio de Janeiro, por iniciativa do artista pernambucano Augusto Rodrigues (1913 -1993), da artista gaúcha Lúcia Alencastro Valentim (1921) e da escultora norte-americana Margareth Spencer (1914), a Escolinha de Arte do Brasil que coloca o foco nas distintas expressões artísticas como na dança, pintura, teatro, desenho, poesia, música e escultura produziu frutos de uma relevância inimaginável também para nós, os montesclarenses.

Através de Herbert Read em sua obra Education through Art (1943), as idéias e as principais inspirações foram fornecidas para esta experiência, hoje indiscutivelmente vitoriosa e sistematizada, sempre partindo do princípio de que a educação é o fundamento da arte.

Em 1941 a exposição de arte infantil no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, contribuiu decisivamente para a difusão da idéia entre os arte – educadores. Segundo Lúcia Valentim: “Nossa grande mestra foi sem dúvida a criança. Havíamos decidido nos guiar por ela: observar o que ela fazia; oferecer situações novas e verificar como reagia; analisar o que recusava; documentar como progredia”.

Afinal, a arte, através de alguns valores estéticos, como beleza, harmonia e equilíbrio, é uma forma do ser humano expressar suas emoções, sua história, sua cultura e pode ser representada através da música, da escultura, da pintura, do cinema, da dança, entre tantas outras manifestações artísticas.

Nos anos 80 e 90, em Montes Claros, as irmãs de Paula, Martha, Graça e Raquel, juntamente com a arte educadora Elda Aléssio, realizaram um trabalho magnífico nesta área.

A importância deste trabalho foi sentida em nossa casa. As imagens da felicidade estampada no rostinho dos meus filhinhos Gú e Dan quando se lembravam de que “era o dia da Escolinha de Arte”, ainda são muito fortes. O fazer arte sempre foi e será um fator essencial no processo do desenvolvimento da linguagem, bem como uma espécie de documento que registra a evolução da criança.

 Desenvolvendo a criatividade, a auto-expressão, a auto-estima e atuando de forma efetiva e afetiva com o mundo, a criança opina, critica e sugere, através da utilização das cores, formas, tamanhos, símbolos, gestos e sons.

Anúncios

Sobre raquelcrusoe

Natural de Montes Claros-Minas Gerais - Brasil - Mestre em Ciências da Educação em Música (Havana - Cuba)- Pós-Graduação em Educação Artística (São Paulo) - Licenciatura em Artes - Bacharelado em Música – Piano( Rio de Janeiro)- Vice Diretora e Coordenadora Cultural do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez - Diretora do Projeto Acêrvo Cultural de Montes Claros - Professora de Piano,Regência, Percepção Musical,História da Música e Folclore do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez - Professora Titular da UNIMONTES - Fundadora do Curso de Educação Artística/FUNM - Vice – Diretora do Curso de Educação Artística/FUNM - Diretora em Exercício da Faculdade de Educação Artística/FUNM - Membro do Conselho Diretor da FUNM - Fundadora e Primeira Coordenadora de Cultura da UNIMONTES - Coordenadora de Cursos de Pós – Graduação em Arte – Educação/UNIMONTES - Diretora do Projeto MUSICAMPUS - UNIMONTES - Membro do Conselho Universitário da UNIMONTES – CONSU - Chefe do Departamento de Artes - UNIMONTES
Esse post foi publicado em Artigos/Textos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s